Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, XXII Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da UTFPR

Tamanho da fonte: 
Análise intersemiótica comparativa das obras ‘Luna Caliente’ e ‘Onde os velhos não têm vez’
Isabella Mazuchin

Última alteração: 2018-06-17

Resumo


OBJETIVO: Este relatório está vinculado ao projeto ‘A narrativa policial literária e cinematográfica: estudo de autores e obras contemporâneos na América’ e apresenta uma parcela das atividades desenvolvidas no Programa Institucional de Bolsas da Iniciação Científica. O presente estudo faz uma análise intersemiótica das obras ‘Luna Caliente’ e ‘Onde os velhos não têm vez’ em suas versões literárias e cinematográficas com foco no contexto e no papel do detetive nas respectivas adaptações fílmicas. MÉTODOS: O procedimento utilizado para o estudo é a análise da figura do detetive em relação a teoria do romance policial tradicional e a teoria da adaptação. As discussões propostas são permeadas pelos principais referenciais teóricos: Reimão (1983), Massi (2011) e Hutcheon (2013). RESULTADOS: Os resultados obtidos são que o contexto histórico e social influenciam a recepção de uma adaptação, assim como a representação da figura do detetive. CONCLUSÕES: o romance policial sofreu transformações ao longo do tempo acompanhando, assim, a evolução da sociedade e o aumento da criminalidade. Os romances policiais contemporâneos passaram a esboçar mais críticas às formas de violência e aos contextos em que estão inseridos, como é o caso de ‘Luna Caliente’, tanto livro quanto adaptação fílmica. Os estudos da adaptação também evoluíram a partir das teorias da tradução e esse tipo de análise se torna possível a partir da não hierarquização das mídias.

 


Palavras-chave


Romance policial. Adaptação. Detetive. Contemporâneo. Tradicional.