Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, XXIII Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da UTFPR

Tamanho da fonte: 
Análise de remoção de DQO e residual de alumínio em efluente de frigorífico de suínos tratado por eletrocoagulação
Flavia Manente da Silva, Fábio Orssatto, Isabela de Souza Araújo, Thainá Harris Vieira

Última alteração: 2019-01-22

Resumo


A geração diária de efluente é preocupante devido à alta carga poluidora desse rejeito, que é capaz de alterar o ecossistema aquático. Em vista disso deve-se empregar métodos de tratamento para atenuar o impacto ambiental, entre os métodos convencionais pode-se citar o sistema de lagoas. O tratamento eletrolítico, que se baseia no princípio da interação elétrica entre eletrodos metálicos e o efluente, tem potencial para substituir os sistemas adotados, com isso o objetivo do trabalho consistiu em avaliar o desempenho de um reator de eletrocoagulação empregado para tratar efluente de abatedouro e frigorífico de suínos. Montou-se um DCCR com 3 variáveis independentes: tempo de eletrólise, distância entre os eletrodos e corrente elétrica, obtendo-se um fatorial completo 2³ com adição de 6 pontos axiais e 3 repetições no ponto central. Avaliando-se o percentual de remoção da DQO percebeu-se que o ensaio 5, realizado com corrente elétrica de 1,28 A por 14min3s e distância entre os eletrodos de 3,63 cm, obteve a máxima remoção de 67,44%. A menor concentração de alumínio residual, 14,53 mg.L-1, foi visualizada no ensaio 12, realizado com 0,95 A por 20min e distância de 8,5 cm entre os eletrodos. Embora os modelos matemáticos não tenham sido válidos percebe-se que a técnica apresenta boa eficiência no tratamento de efluente, porém apresenta a desvantagem de acumular alumínio, proveniente dos eletrodos metálicos.



Palavras-chave


Corrente elétrica. DCCR. Distância.

Texto completo: PDF