Sistema Eletrônico de Administração de Conferências, XXIII Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica da UTFPR

Tamanho da fonte: 
Análise de adesão entre o polimetil-metacrilato (PMMA) e materiais utilizados pelo processo de manufatura aditiva por extrusão
Giovanni Capellari

Última alteração: 2018-11-28

Resumo


O processo de cranioplastia consiste na inserção de uma prótese para corrigir um defeito craniano. No Brasil, o único material aprovado para a confecção da prótese é o polimetil-metacrilato (PMMA). A prótese de PMMA pode ser confeccionada manualmente ou com auxílio de molde pré-fabricado. Um método disponível para confecção do molde é a manufatura aditiva, produzindo uma prótese que apresenta maior fidelidade ao defeito craniano. A correta seleção do material usado no molde resulta em uma prótese de maior qualidade. O estudo propõe selecionar alguns dos materiais mais usados na manufatura aditiva e comparar seu desempenho. Os materiais analisados são acrilonitrila-butadieno-estireno (ABS), ácido poliláctico (PLA), politereftalato de etileno glicol (PETG), copoliéster Tritan HT e material flexível a base de poliuretano (Flex). O estudo contempla análise da polaridade dos compostos, contemplando seu arranjo molecular; viabilidade para uso cirúrgico; e adesão com o PMMA, observando de que forma o molde e a prótese conseguem ser separados após polimerização do PMMA. Após ensaio analisando a adesão do PMMA com os materiais citados, observou-se que o mais adequado é o Flex, apresentando baixa aderência ao PMMA.


Palavras-chave


PMMA; Adesão; Cranioplastoa